chefe

Conhecer e Tratar Pessoas Precisa Habilidade

Durante minha vida profissional, eu topei com algumas figuras cujo sucesso surpreende  muita gente. Figuras sem um vistoso currículo acadêmico, sem um grande diferencial técnico, sem  muito networking ou marketing pessoal. Figuras como o Raul.

Eu conheço o Raul desde os tempos da faculdade. Na época, nós tínhamos um colega de classe, o Pena, que era um gênio. Na hora de fazer  um trabalho em grupo, todos nós queríamos cair no grupo do Pena, porque o Pena fazia tudo sozinho. Ele escolhia o tema, pesquisava os livros, redigia muito bem e ainda desenhava a capa do trabalho – com tinta nanquim. Já o Raul, nem dava palpite. Ficava ali num canto, dizendo que seu  papel no grupo era  um só, apoiar o Pena. Qualquer coisa que o Pena precisasse, o Raul já estava providenciando, antes que o Pena concluísse a frase.  Deu no que deu. O Pena se formou em primeiro lugar na nossa turma. E o resto de nós passou meio na carona do Pena – que, além de nos dar uma colher de chá nos trabalhos, ainda permitia que a gente colasse dele nas provas.

No dia da formatura, o diretor da escola chamou o Pena de ‘paradigma do estudante que enobrece esta instituição de ensino’.  E o Raul ali, na terceira fila, só aplaudindo. Dez anos depois, o Pena era a estrela da área de planejamento de uma multinacional.
Brilhante como sempre, ele fazia admiráveis projeções  estratégicas de cinco e dez anos. E quem era o chefe do Pena? O Raul. E como é que o Raul tinha conseguido chegar àquela posição?  Ninguém na empresa sabia explicar direito. O Raul vivia repetindo que tinha subordinados melhores do que ele, e ninguém ali parecia discordar de tal afirmação. Além disso, o Raul continuava a fazer  o que fazia na escola, ele apoiava. Alguém tinha um problema?  Era só falar com o Raul que o Raul dava um jeito.

Meu último contato com o Raul foi há um ano. Ele havia sido  transferido para Miami, onde  fica a sede da empresa.  Quando conversou  comigo, o Raul disse que havia ficado surpreso com o convite. Porque, ali na matriz, o mais burrinho já tinha sido astronauta.
E eu perguntei ao Raul qual era a função dele. Pergunta inócua, porque eu já sabia a resposta. O Raul apoiava. Direcionava daqui, facilitava dali, essas coisas que, na teoria, ninguém precisaria mandar um brasileiro até Miami para fazer.  Foi quando, num evento em São Paulo , eu conheci o Vice-presidente de recursos humanos da  empresa do Raul.
E ele me contou que o Raul tinha uma habilidade de valor inestimável: ele entendia de gente.
Entendia tanto que não se preocupava em ficar à sombra dos próprios subordinados para fazer com que eles se sentissem melhor, e fossem mais produtivos.  E, para me explicar o Raul, o vice-presidente citou Samuel Butler, que eu não sei ao certo quem foi, mas que tem uma frase ótima: ‘Qualquer tolo pode pintar um quadro, mas só um gênio consegue vendê-lo’.  Essa era a habilidade aparentemente simples que o Raul tinha, de facilitar as relações  entre as pessoas.  Perto do Raul, todo comprador normal se sentia um expert, e todo pintor comum, um gênio. Essa era a principal competência dele.

“Há grandes Homens que fazem com que todos se sintam pequenos.
Mas, o verdadeiro Grande Homem é aquele que faz com que todos se sintam Grandes.”
Max Gehringer

Sabedoria pele-vermelha

Um agente do governo perguntou ao Chefe Duas Águias:
– Você observou o homem branco durante 90 anos. Você viu suas guerras e seus avanços tecnológicos. Você viu seu progresso e os danos que ele causou.
O Chefe acenou concordando. O agente continuou:
– Considerando todos esses fatos, na sua opinião, onde foi que o homem branco errou?
O Chefe olhou fixamente o agente por mais de um minuto e calmamente respondeu.
– Quando homem branco encontrou a terra, índios a governavam, não impostos, não dívidas, muitos búfalos, bastante castores, água pura.  Mulheres faziam todo o trabalho. Médico grátis. Homem índio passava dia todo caçando e pescando; de noite muito sexo. Somente homem branco bastante burro pensar que poderia melhorar sistema como esse.”

Problema tem que ser superado

“Conta uma história que certa vez em um castelo, foi preciso encontrar um substituto do Guardião. O chefe dos guardiões convocou todos os discípulos para saber quem seria o novo guardião. O chefe disse:
– Assumirá o posto quem resolver o problema primeiro.
Então pegou um vaso de porcelana muito raro, com uma rosa muito bela e disse:
– Eis o problema.
Todos ficaram olhando e não sabiam o que fazer. Neste instante um dos discípulos sacou a espada, olhou para o mestre e dirigiu-se ao vaso e destruiu tudo com um só golpe.
Tão logo o discípulo retornou ao seu lugar e o mestre disse:
– Você será o novo guardião”.

Não importa qual o problema, ele precisa ser eliminado. Problema é problema e deve ser resolvido mesmo que seja ou que tenha sido lindo e maravilhoso. No instante em que se transformou em problema deve ser superado.

A vida muda quando você muda

Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme no qual estava escrito: “Faleceu ontem a pessoa que impedia seu crescimento na Empresa. Você esta convidado para o velório na quadra de esportes”.

No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório.

Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava: – Quem será que estava atrapalhando meu progresso? – Ainda bem que esse infeliz morreu!

Um a um, os funcionários, agitados, aproximavam-se do caixão, olhavam o defunto e engoliam em seco. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma. Pois bem, no visor do caixão havia um espelho…, e cada um via a si mesmo….

Só existe uma pessoa capaz de limitar o seu crescimento: você!!!

Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida e; Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo.

“Sua vida não muda quando seu chefe muda, quando sua empresa muda, quando seus pais mudam, quando seu namorado(a) muda. Sua vida muda quando você muda! Você é o único responsável por ela”.

“Os tristes acham que o vento geme; os alegres acham que ele canta.”

O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos. A maneira como você encara a vida é que faz a diferença.